Wilson Chaves nasceu no Rio de Janeiro no dia 10 de dezembro de 1923. Em 1942 entrou para o Teatro do Estudante, de Paschoal Carlos Magno, após ter várias ocupações, algumas delas à margem da lei. Fazia trabalhos administrativos no teatro durante o dia, e à noite figurava no elenco de Hamlet, um pequeno papel de soldado, sem fala. Começou sua carreira cinematográfica em 1951, com "Hóspedes da Noite", de Ugo Lombardi, e não parou mais. Participou de quase todos os filmes produzidos pela Atlântida, na época áurea das chanchadas, o primeiro foi “Amei um Bicheiro” (1952) com Eliana Macedo. Invariavelmente no papel de vilão, ao lado de José Lewgoy. No total fez mais de 250 filmes e é o recordista do cinema brasileiro até os dias de hoje.  Atravessou mais de quatro décadas do cinema brasileiro, fazendo uma média de um filme a cada dois meses. Portanto, é praticamente impossível falar do cinema brasileiro sem falar em Wilson Grey. Das chanchadas da Atlântida - ao lado de Oscarito, Grande Otelo e companhia - aos saudosos anos 80. Grey estabeleceu um recorde difícil de ser batido. Seu tipo franzino e sua voz bem característica tornavam-no o ator perfeito para interpretar o malandro carioca típico das décadas de 1940 e 1950. Mesmo decorridos mais de uma década de sua morte, é ainda o ator brasileiro com a maior filmografia, construída em mais de quarenta anos de trabalho. Wilson Grey também considerava que seu recorde era mundial, mas a imprensa norte-americana especializada sempre o atribuía, para seu declarado desgosto, a um ator da Índia. Somente viria a fazer um papel principal em 1982. Foi o professor Expedito Vitus, de "Segredo da Múmia”, de Ivan Cardoso”, que lhe valeu o prêmio de melhor ator no Festival de Brasília. Além das "chanchadas", participou de filmes marcantes do cinema brasileiro dos anos 80, como: “Bonitinha, mas Ordinária “(1981), “Engraçadinha” (1981), ”Rio Babilônia”(1982), “Luz Del Fuego”(1982),  ”Águia na Cabeça”(1985),    ”Ópera do Malandro” (1985), "Memórias do Cárcere" (1985), "Beijo da Mulher Aranha"(1985), “Bar Esperança”(1983), “Banana Split”(1988), “Brás Cubas”(1985), “Baixo Gávea”(1986), “A Dança dos Bonecos” (1986), “As Sete Vampiras”(1986) , Leila Diniz”(1987), “Escorpião Escarlate”(1989). Nos anos 90 atuou ainda em: “Corpo em Delito” (1990), “A Maldição de Sanpaku” (1992). Afirmou em entrevistas que seu papel em "Vai Trabalhar, Vagabundo” era vagamente autobiográfico.Seu último trabalho foi justamente em “Vai Trabalhar Vagabundo 2 – A Volta” de 1993. Na televisão, trabalhou em “Chico City”, foi um crupiê na minissérie "A, e, i, o… Urca”, da Rede Globo e atuou também nas novelas “Maria, Maria” de Manoel Carlos (Globo - 1978) e "Guerra dos Sexos" de Sílvio de Abreu (Globo - 1983). Em 1996, foi lançado postumamente seu último filme, "O Lado Certo da Vida Errada”. Wilson Grey faleceu, na ativa, no dia 3 de outubro de 1993.