A atriz Zilka Salaberry nasceu em 31 de Maio de 1917. Ela ingressou na carreira artística através da Companhia de Teatro do ator Procópio Ferreira no final dos anos 30, com os pais e a irmã Lourdes Mayer, todos atores. Teve desempenhos de destaque nas peças “Os Possessos”, de Dostoievski, ao lado de Sérgio Britto e “Na Copa do Mundo”, em 1950, onde foi a primeira atriz a aparecer nua no teatro. Zilka marcou presença também no cinema nacional com filmes como: “Cidade-Mulher”, sua estréia em 1936, “Maria 38” e “Xuxa e os Duentes” em 2001, sua última participação nos cinemas. Mas foi na televisão que ela teve seu trabalho reconhecido nacionalmente. Sua estréia em telenovelas aconteceu em “Sangue e Areia”, de Janete Clair, na Rede Globo em 1968, mas foi em 1970, em Irmãos Coragem, também de Janete Clair, que ela conquistou o coração do grande público e ganhou o título de Mãe do Brasil. Sua carreira na Tv é marcada por grandes sucessos como: “O Bem Amado”, “Corrida do Ouro”, “Senhora”, “O Casarão”, “Que Rei Sou Eu?”, “Memórias de um Gigolô”, “Tereza Batista” “Araponga” e o remake de “Pecado Capital”. Sua última aparição em novelas foi em “Esperança” (2002). Sua participação no “Sítio do Picapau Amarelo” é especial, ela atuou nos dez anos que o programa esteve no ar se imortalizou como a Dona Benta de Monteiro Lobato. O sucesso de Dona Benta foi surpresa pra ela que comentava em suas entrevistas “Sou muito agitada e achava que a personagem não combinava com meu temperamento”; ela chegou a participar do especial infantil “Pirlimpimpim” (1982) que homenageou os 100 anos de nascimento de Monteiro Lobato. Zilka voltou a trabalhar com as crianças em “Bambuluá”, ao lado de Angélica, ela nos deixou em 10 de Março de 2005, vítima de insuficiência respiratória.