A Rainha das Abelhas

 

Narizinho se pendurava na jabuticabeira, com Rabicó em baixo, abocanhando caroços que sobravam. Numa tarde, uma  vespa mordeu a língua de Narizinho, que cuspiu o naco da fruta, deixou-a cair, e gritou desesperada de dor, sendo logo socorrida por Tia Nastácia. Esta conseguiu arrancar o ferrão da mordedura, mas da vespa nem sinal.

Bem perto dali, numa colméia num oco de pau do mesmo pomar, a tragédia foi muito comentada pelas abelhas. Elas andavam em guerra com as vespas, que com elas disputavam território nas árvores frutíferas. A rivalidade decorrente dos interesses comuns gerou o ódio de umas contra as outras. Na colméia de que falo, a Rainha Bê, gorda matriarca, fora compelida por suas abelhas guerreiras a preparar um ataque à colônia mais próxima, justamente aquela da jabuticabeira onde uma delas ferrara a língua de Narizinho. Os esquadrões se prepararam para a luta, aguardando apenas parar o vento. Irritadas com a espera, as operárias guerreiras exigem da Rainha Bê outra estratégia. Decidem mandar alguém como isca até o vespeiro atrair as inimigas a uma emboscada junto à própria colméia.  Não sendo conveniente sacrificar uma operária  ou algum zangão reprodutor, a escolha recai, contra o desejo da Rainha Bê,  sobre uma larva adolescente, uma das mais queridas filhas da Rainha. Essa larva era a doce e casadoira IFIGÊNIA, que ainda não sabe qual será seu futuro: tornar-se operária ou rainha. Na incerteza, enquanto aguarda, e ignorando a trama. IFIGÊNIA toma geléia real, conversando com NAIR, uma abelhinha  jovem e gorducha que cuida dela. É quando chega a notíca de que sua mãe resolveu prepará-la para o casamento.  Está aí: ela seria também Rainha, e sua primeira incumbência será sair em um longo vôo nupcial  à procura de um noivo que a fecunde, para que possa dar início a uma nova geração, a uma nova colméia. Isso na versão oficial. IFIGÊNIA acredita e zumbe de alegria, desconhecendo a matreira e traiçoeira decisão da colméia, que é de atirá-la às feras lá fora, isto é, ao ferrão das vespas. A cambadinha ficou muito emocionada ao tomar conhecimento do drama de IFIGÊNIA, e vão fazer de tudo para ajudá-la.

Texto de Wilson Rocha

Participação Especial:

Thelma Rouston- Abelha Rainha

Heloisa Millet –Ifigênia

Monique Lafond-Libélula

e

Cininha de Paula, Lúcio Mauro, Wolf maia